O Abraço de Dois Gigantes

Quando amar é o que importa!

 

Ao ler a declaração de amor que meu filho fez esta semana no facebook, parei para refletir. Sua capacidade de expressar aquele amor, através da escrita, teria sido fruto da minha educação? A influência dos avós, tios e primos? O pai adotivo, tão presente, pragmático e questionador?  O meio em que viveu até aqui, ou, “esta criatura já veio pronta”?                                         Sim. Porque os antigos insistiam em dizer que “o bom, o ladino, o educado, o trabalhador, já nasce pronto”!

Hoje penso que a educação vem de casa, evidentemente, mas, o que faz um jovem manifestar o seu amor a outro jovem de forma tão franca e tão verdadeira?  Porém, o que mais me encantou, naquela narrativa, foi falar do seu amor, sem ter a mínima preocupação com o que os outros vão pensar?  Aquela tão famosa preocupação que nos poda e o pior, tolhe nossa felicidade.

Quantas coisas deixamos de fazer por conta desta “preocupação”?  Quantos medos, quanta angústia e quanto peso carregamos desnecessariamente?

Lendo os comentários, percebi que talvez para os homens esta questão seja mais fácil. Não existia nenhuma disputa aparente. Solidariedade pura e simples entre eles.  Até os palavrões, soam em forma de elogios. Outros jovens também manifestaram o carinho pelo aniversariante, mas outros, manifestaram os parabéns para o meu garoto, pelo gesto e reconhecimento de uma amizade que já dura mais de duas décadas.

Que bom poder amar sem ter vergonha. Que bom poder demonstrar o amor, por gestos ou palavras. Abraços e elogios mudam a vida das pessoas. Acredito que este estímulo e o contexto vivido por meu “pequeno” nestes quase 25 anos, tenha permitido criar e mostrar através desta declaração, o momento sereno que vive o seu coração nesta relação de amizade.

No final do dia, a declaração ficou eternizada em um forte abraço deste amigo, do alto de seus quase 2 metros de envergadura.

E você tem declarado o seu amor?

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *